ANPOC
Associação Nacional de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais
T. (+351) 266 708 435 geral@anpoc.pt

O Clube Português dos Cereais de Qualidade é um Clube informal que funciona sob os auspícios da ANPOC. Presidido por Fernando Carpinteiro Albino, associa Organizações de Produtores (Cersul, Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches, Cooperativa Agrícola de Beringel, Globalqueva, Procereais, Carnes do Campo Branco e Siltom), Organizações socioprofissionais do setor (ANPOC e ANPROMIS), Investigação (INIAV e IPBEJA), e os principais representantes da indústria de moagem e semolaria (Germen/Ceres, Cerealis, Fábricas Lusitana e Insular); e da indústria cervejeira (Sociedade Central de Cervejas e Maltibérica/Super Bock Group).

Com um importante papel agregador da fileira dos cereais, o Clube reúne duas vezes por ano: em maio/junho, coincidindo com o início das ceifas; e em outubro/novembro, coincidindo com o arranque da campanha de sementeira dos cereais praganosos.

As reuniões servem assim para análise do ano cerealífero, no primeiro caso; e preparação e previsão da campanha seguinte, no segundo. A organização das Assembleias é rotativa, cabendo às Organizações de Produtores a preparação das assembleias de maio/junho; e à indústria a preparação das assembleias ocorridas no final do ano.

O Clube Português dos Cereais de Qualidade é um Clube informal que funciona sob os auspícios da ANPOC. Presidido por Fernando Carpinteiro Albino, associa Organizações de Produtores (Cersul, Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches, Cooperativa Agrícola de Beringel, Globalqueva, Procereais, Carnes do Campo Branco e Siltom), Organizações socioprofissionais do setor (ANPOC e ANPROMIS), Investigação (INIAV e IPBEJA), e os principais representantes da indústria de moagem e semolaria (Germen/Ceres, Cerealis, Fábricas Lusitana e Insular); e da indústria cervejeira (Sociedade Central de Cervejas e Maltibérica/Super Bock Group).

Com um importante papel agregador da fileira dos cereais, o Clube reúne duas vezes por ano: em maio/junho, coincidindo com o início das ceifas; e em outubro/novembro, coincidindo com o arranque da campanha de sementeira dos cereais praganosos.

As reuniões servem assim para análise do ano cerealífero, no primeiro caso; e preparação e previsão da campanha seguinte, no segundo. A organização das Assembleias é rotativa, cabendo às Organizações de Produtores a preparação das assembleias de maio/junho; e à indústria a preparação das assembleias ocorridas no final do ano.